Siga este blog também

Itamaraty renova passaporte diplomático de Edir Macedo

O governo renovou o passaporte diplomático do bispo Edir Macedo (foto), chefe da Igreja Universal. A informação é de Lauro Jardim, do site da Veja.

Macedo está sendo investigado pelo Ministério Público Federal porque é suspeito de ter formado uma quadrilha para lavar dinheiro do dízimo no Exterior, entre outros crimes.

O passaporte diplomático só deveria ser concedido a funcionários do Itamaraty e às autoridades governamentais que viajam ao Exterior como representantes do Brasil.

Os portadores do passaporte diplomático têm tratamento privilegiado nos aeroportos do Brasil e de outros países. Entre outras coisas, eles não precisam se submeter a filas e revistas. O documento é concedido sem nenhum custo.

Bispos da Igreja Católica desfrutam do benefício há muitos anos.

Mais recentemente o pastor R.R. Soares, da Igreja da Graça, obteve esse passaporte especial com a ajuda do senador Marcelo Crivela (PRB-RJ), que fez o pedido ao Itamarati. Soares e Macedo têm avião particular.

Jean Wyllys contra-ataca:

“Cadê o passaporte diplomático de Mãe Stella de Oxóssi?”, perguntou o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) ao questionar a decisão do governo de renovar a concessão desse documento especial a Edir Macedo, chefe da Igreja Universal.

Maria Stella de Azevedo Santos, a Mãe Stella de Oxóssi, é uma ialorixá que escreveu livros sobre a sua religião e que tem feito viagens ao Exterior para falar sobre a cultura brasileira.
Ele argumentou que, já que houve a quebra de finalidade do documento, todos os líderes religiosos deveriam ter o direito o privilégio hoje restrito a Edir Macedo e a outros poucos religiosos.

“Cadê também o passaporte diplomático do rabino Nilton Bonder?, quis saber o deputado, referindo-se ao responsável pela Congregação Judaica do Brasil.

Wyllys lembrou que Edir Macedo é réu em um processo que tramita na Justiça Federal em São Paulo sobre lavagem de dinheiros no Exterior, e esse deveria ser mais um motivo para que não houvesse a concessão do privilégio.

Ora, passaporte diplomático não deveria ser concedido a autoridades políticas quando estes representam o país no exterior? Então por que que os Senhores R.R. Soares, Macedo e cia gozam deste direito? Acaso estes Senhores viajam para fazer uma missão humanitária? Ou algo de cunho estritamente politico? Não! Sendo assim os passaportes foram concedidos de forma errônea, e a lei é para todos, se o Edir Macedo pode, Maria Stella também pode.


Já que houve a quebra de finalidade do documento, todos os líderes religiosos deveriam ter o direito, o privilégio, hoje restrito a Edir Macedo e a outros poucos religiosos.

Mas, coitados de nós… (risos!) Nós além de hereges (sim, pois quem anda na contramão do mundo gospel hoje em dia é herege aos olhos dos EmVãoGélicos brasileiros), somos todos uns pastorzinhos insignificantes. Se ao menos nós fôssemos apóstolos, patriarcas ou bispos, dava até para tentar, mas nós somos apenas pastorzinhos (e olha que pastor é o título “mais raso” da hierarquia EmVãoGelica tupiniquim!). Isso é coisa pra gente de grana, de projeção midiática e bons do bolso. Acostumemo-nos com as filas nos aeroportos, porque essa “Bença” não é pra ralé não!
 
Mas isso são coisas que só acontecem na República das Bananas.

3 comentários:

  1. Infelizmente esse é nosso Brasil.

    ResponderExcluir
  2. ENTÃO VAI A PERGUNTA ... QUAL INTERESSE DO GOVERNO EM DAR PRIVILÉGIOS A PESSOAS COMO EDIR MACEDO??? PORQUE NOS ÚLTIMOS ANOS , HOUVE UM NÚMERO SIGNIFICATIVO DE LÍDERES DE IGREJAS , NO CONGRESSO NACIONAL BRASILEIRO ???? POLÍTICOS E LÍDERES "ESPIRITUAIS" FAZENDO LEIS SERIA MESMO UMA BOA EQUAÇÃO ??? BOM TA AQUI O PROTESTO DE UMA BRASILEIRA INDIGNADA !!!

    ResponderExcluir
  3. Com que moral este herege irá contestar o aborto ?
    Como poderá este apóstata lutar contra as aberrações deste governo ?
    Vendeu-se o adorador do dinheiro e por um mísero passaporte.
    Que líderzinho fraco e serviçal do poder econômico !

    ResponderExcluir