Siga este blog também

Igreja evangélica: Rumos errados e necessidade de reformas

Entre uma denominação histórica (tradicional) e uma neopentecostal, onde me encaixo? Se o modelo antigo, com seu aparelho burocrático e engessado, não funciona mais e a nova proposta de “igreja” vem com um enorme vazio de Palavra e seriedade, o que fazer?


Vejamos o tamanho da crise:

As igrejas de hoje têm inúmeros apóstolos, bispos e reverendos, mas pouquíssimos pastores. A coisa mais difícil é encontrar espaço na agenda do líder para um aconselhamento pastoral, afinal, os inúmeros compromissos com a televisão, rádio e os políticos de plantão não permitem que a ovelha perdida seja socorrida pelo seu “pastor”, principalmente se essa ovelha tiver “pouca lã”.

A liturgia do culto tradicional, sem vida e engessada, mais parece um cerimonial fúnebre onde todos estão mudos na presença de um morto que não ressuscitou.

O neoculto, por sua vez, é dividido em três partes: o louvor, composto de uma repetição sem fim dos chamados “cânticos espirituais”, convida o público a “namorar” Jesus, a sentar no seu colo e sentir seu calor, num estado de quase transe emocional. O ofertório (imenso) é o momento de textos fora do contexto para justificar pedidos de polpudas ofertas com taxa de retorno maior que prometiam o pessoal do “Boi Gordo”, com direito a uso de cartão de crédito e/ou débito. A palavra, sempre voltada a um evangelho triunfalista e reivindicatório que obriga Deus a atender todos os pedidos dos fiéis sob pena da não mais contribuir com o seu “reino aqui na Terra”.

A música é outro ponto que merece destaque. Com o aumento da chamada população evangélica, o mercado de cd’s tornou-se verdadeira mina de dinheiro para um seleto grupo que tem construído verdadeiros impérios financeiros, produzindo música de questionável qualidade técnica, e duvidosa qualidade teológica. Esses grupos têm gravadoras, rádios, empresas de comunicação, editoras, agências de turismo, etc, tudo isso para “explorar” o emergente e ávido mercado dos irmãos.

Também merece atenção o lastimável envolvimento de denominações e de igrejas locais com o sistema político vigente, alguns chegando ao ponto de serem eleitos a fim de representar a Igreja de Cristo junto ao Estado como se o Deus Todo-Poderoso, que rege o universo, dependesse de um senador ou deputado para implantar Seu Reino na Terra.

Entre o “velho” e o “novo” existem ainda aquelas igrejas tradicionais que, com medo do êxodo dos poucos fiéis que lhe restam, tentam imitar as emergentes neopentecostais. Chega a ser ridículo. É como querer jogar tênis com as regras do frescobol. Embora existam semelhanças – duas raquetes, dois jogadores e uma bolinha – o jogo é completamente diferente.

Quanta tristeza e cansaço!

Creio que é chegada a hora da virada (seria uma reforma da reforma?). O velho modelo, gélido e sem vida, definha, enquanto o novo é vazio de conteúdo e coerência. Para onde ir? Parece que o chão da verdadeira Igreja sumiu e muitos estão sem rumo e desiludidos. É claro que, em ambos os lados, existem as exceções. Igrejas sérias que servem a Deus com temor e tremor. Muito pouco num Brasil continental. Por isso mesmo, quero convocar a todos os cristãos espalhados nas mais variadas denominações a uma cruzada de reflexão e ação onde a volta ao verdadeiro e simples evangelho seja o alvo de nossos esforços e orações.

Chega de engano e abuso espiritual. Pare, leia, questione, reflita. E que o Deus Todo Poderoso, Senhor da História e do Universo, tenha misericórdia de nós!

Sabonete do Sangue do Cordeiro?

Para você que não se sente perdoado em só orar para purificar de seus pecados! Seus problemas acabaram!!!


Já existe no mercado o sabão que vai deixar o corpo e a alma mais alvo que a neve! O sabonete do Sangue do Cordeiro… Sim, do cordeiro Gezuis!

Pecou??? Vai tomar banho! Literalmente…

Filho falou palavrão? Faz ele engolir esse sabonete!

Resumindo: Tem coisas que só o mundo Gospel faz por vc!

No Twitter, Malafaia convida fiéis a assistirem programa com pastor Mike Murdock

O pastor Silas Malafaia postou em seu Twitter um convite para que seus seguidores no microblog assistam ao programa “Vitória em Cristo” no próximo Sábado, 31/12.

No post, Malafaia convida os fiéis a assistirem a mensagem do polêmico pastor Mike Murdock. “Nao percam neste sábado uma palavra especial no programa Vitoria em Cristo com o Dr. Mike Murdock. Rede Tv às 9h e 12h na Band”, escreveu Malafaia.

A dupla já causou polêmica anteriormente por lançarem um clube para dizimistas especiais. Na época, Malafaia pedia ofertas específicas no valor de R$ 1.000 para o “Clube de um milhão de almas” e contava com a aprovação de Murdock, que incentivava os telespectadores a também adquirirem uma Bíblia comentada no valor de R$ 900,00.


A iniciativa de Malafaia e Murdock foi duramente criticada à época por pastores e líderes das Assembleias de Deus. “Isso é no mínimo lamentável, vergonhoso e desonroso para a nossa denominação”, afirmou à época o pastor Carlos Roberto Silva, vice-presidente executivo da Convenção dos Ministros da Assembléia de Deus do Estado de São Paulo e membro do Conselho de Doutrina da CGADB – Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil.


Recentemente nos Estados Unidos foi lançado um livro contando os bastidores do ministério de Mike Murdock, e o controverso autor, que frequentava a casa do pastor, afirma que o tele-evangelista desviava dinheiro de ofertas e se envolvia com prostitutas. “É um fardo viver em uma bolha cristã, sem nunca poder falar sobre o paraíso escondido do pregador, com prostitutas siliconadas, brinquedos sexuais, pornografia pesada, e tudo que o dinheiro podia comprar”, afirmou Bryan Trey Smith.

Fonte: Gospel+

Globo, Gospel e Silas Malafaia: o rei, o príncipe e o bôbo

Silas Malafaia é uma realidade no cenário evangélico no Brasil. Pastor, psicólogo, e de talento empresarial, Silas tem se revelado nos últimos anos um exímio estrategista. O homem de duas faces (com bigode e sem bigode) parece ser descendente de uma espécie rara de camaleão.

Minha indignação com este cidadão possui tamanha amplitude pelo fato de antes ter acompanhado e aprovado seu ministério – isto, claro relacionado ao antigo Silas, aquele de voz coerente e que abominava a teologia da prosperidade e outras heresias.

Sinceramente não consigo conceber que vida ministerial e poder consigam viver em harmonia. O ser humano raramente administrará a ganância do seu coração! (Mt 6.19-21). Contudo Silas vem ganhando espaço, e além de seu potencial bélico evidenciado por sua astúcia, ao que parece, projeta uma verdadeira estratégia de ataque para deter em suas mãos a maioria evangélica no país.

Sua estratégia não se esconde debaixo de sete chaves. Meses atrás revelou seu grande alvo: chegar à Globo! Entretanto de uns tempos prá cá ele já deu fortes indícios de que é um verdadeiro camaleão.

Conhecido antes por sua postura de total aversão a teologia da prosperidade e americanismo gospel, em 2009, de olho no lucro, manutenção e ampliação de seu programa televisivo, passou a pedir R$ 900,00 por fiel (que segundo o pastor americano Morris Cerullo, era devido o ano ser 2009) – em 2011 o valor sofreu reajuste, agora R$ 911,00, alegando ser o valor correspondente ao ano de 2011- Pura picaretice!!

Quem lembra da última eleição presidencial (2010) onde Silas desistiu de apoiar a candidata Marina Silva (PV) para abraçar os Tucanos sob desculpa de que as “posturas pessoais” desta sobre determinados temas não eram seguras, corajosas e coerentes, divergindo com suas convicções religiosas? Dizia ele em seu micro-blog: “Sai do muro irmã”! – Coisa que ele até hoje não fez ao querer servir a Deus e a mamon!

Ainda em 2010, se convencendo de sua independência, se desligou da CGADB e legitimou sua denominação Vitória em Cristo a qual ambiciona torná-la numa gigante no cenário nacional.

Para alcançar seus fins, Silas é capaz de tudo, como por exemplo, vender indulgência moderna. Em uma das suas piores performance induziu os desempregado e os que pagam aluguel que oferecessem uma semente, de abril até dezembro, em forma de "trízimo", em prol do sonho da casa própria e de outros recursos - um toma lá dá cá em nome de Ge$$ui$. Um verdadeiro assalto e manipulação das mentes humildes e ingênuas.

Quando na defesa da PL 122, criticou os cantores do gospel, acusando-os de omissos e descompromissados, contudo, numa virada de jogo, sendo oportunista e estrategista voltou a defendê-los quando Edir Macedo deu declarações polêmicas chamando-os de endemoniados - Bater na Record tornou-se uma boa estratégia para quem sonha estar na Globo.

Sua mais recente jogada se deu no Festival Promessas, onde passou a divulgar intensamente durante os dias que precederam, apoiando com veemência o espaço global conquistado pelos “astros” gospel, afinal é isso que ele sonha. Após ter criticado abertamente a Globo (anos atrás), fez política no Twitter ao demostrar admiração pela emissora por ter aberto tal espaço: “Vamos explodir a audiência da rede globo no domingo às 13h!!! O nome do Senhor será glorificado!! 1 hora de louvor e adoração!!”.

Durante a transmissão do Festival, Silas aparecia nos intervalos das apresentações vendendo seus modelos de Bíblia e propagando a Editora Gospel. De fato ocorreram três situações: enquanto o Rei (a Globo) ganhava audiência e cumpria mais uma etapa de sua estratégia de captação de mercado evangélico, o Príncipe (o Gospel) se deslumbrava por estar na maior emissora do país sob a utopia de ganhar o Brasil para Cristo, e o bôbo (Silas) realizava seu sonho de estar no maior palco midiático do país fazendo dos seus poucos segundos de fama uma tentativa de ampliação do seu mercado gospel. Será se ele é tão bobão mesmo!?


O que o dinheiro e o poder não fazem hein!? Só sei de uma coisa: o mercado gospel está em alta, e certamente a Globo vai comer a maior fatia desse bolo. Resta saber se o bôbo estará do lado do Rei, ou somente beliscando as migalhas que caem de sua mesa.

Natal desperdiçado!

Em 2043, se Deus permitir e o mundo existir, eu farei 80 anos. Ora, poucas coisas eu posso prever de um ano tão distante, mas vejo que no Natal de 2043 continuaremos ouvindo cristãos reclamando que o Papai-Noel substitui Jesus Cristo e que o Natal virou a celebração do consumismo. As reclamações são legítimas e também partilho dessa lamentação, mas o que estamos fazendo para mudar?  Nada!

Na semana que passou eu visitei a praça do ferreira no centro de Fortaleza, onde existia lindos enfeites de Natal e um pequeno coral. O que me chamou a atenção naquela praça  foi a concorrência para ouvir um coral pequeno com som sofrível. As músicas cantadas falavam em “Glórias a Deus nas alturas” e “O nosso Salvador nasceu” etc. e naquele momento vi que nós, cristãos evangélicos, desperdiçamos o melhor momento do ano para falar a respeito de Jesus Cristo.

Quantas de nossas igrejas farão Cantatas de Natal e convidarão os seus parentes descrentes para ouvir? Infelizmente são cada vez mais raras, mesmo em igrejas mais tradicionais. A Palavra pregada e cantada em um culto como esse pode produzir muitos frutos. Como podemos esperar uma postura secular adequada do Natal se nós o desperdiçamos?

É momento de pensar, se Deus permitir, o Natal de 2012. Não vamos desperdiçar mais um!

O Aniversariante de 25 de dezembro

A família dEle não era rica nem pertencia à realeza, mas Ele deixou uma impressão de realeza no mundo.

Durante 30 anos, Ele aprendeu, com sua família, o ofício de carpinteiro. Com o que Ele tinha, não tirando do que os outros tinham, Ele lutou para trazer transformação para as pessoas no mundo.

Sem ter nenhum cargo político e nenhuma aspiração política, ele atraia e liderava multidões. Suas parábolas, com simplicidade, traziam promessas, inspiração e esperança. Ele dava lições sem possuir nenhum diploma universitário, mas todas as universidades juntas nunca alcançaram nem ensinaram nem muito menos transformaram tantos alunos.

Ele ajudava os pobres sem usar programas governamentais de assistência. Ele os ajudava com os recursos do Pai, não com recursos tirados de outras pessoas.

Ele curava os doentes sem usar nenhum sistema público de saúde. Ele os curava com a misericórdia do Pai, não com a pretensa misericórdia do Estado.

Ele alimentava os famintos sem usar bolsas-família do governo.

Para onde quer que fosse, Ele atraia multidões, que pareciam comícios, mas Ele nunca usou essas aglomerações para promover políticos e suas políticas. Pelo contrário, sabendo da influência dEle sobre o povo e como Ele não aceitava nenhuma aliança política, os políticos queriam matá-Lo.

Mas Ele não tinha medo deles, chegando a chamar um poderoso governante de “raposa”, termo que significava indivíduo maligno.

Durante três anos, Ele exerceu Seu ministério renunciando à Sua profissão de carpinteiro, e Ele nunca fez menção de pedir verbas governamentais para Ele ou Seu ministério, que era voltado aos pobres de espírito. Sem pedir nem depender de nenhuma assistência governamental, Ele completou todo o trabalho que precisava ser feito.

Ele nunca viajou de jatinho particular. Na maioria das vezes, Ele andava a pé, e só em raríssimas ocasiões Ele andou de jumento.

Quando O prenderam por uma acusação falsa, nenhuma autoridade governamental apareceu para defender os direitos humanos dEle. E se a prisão dEle tivesse ocorrido hoje, os direitos humanos teriam sido usados contra Ele, por ter libertado mulheres da “profissão do sexo”, um cobrador de impostos e outros pecadores.

Ele foi preso por prometer e fazer coisas que os políticos prometem, mas nunca fazem.

Apesar de totalmente inocente, Ele não proferiu murmurações no tribunal.

Ele não tinha advogado, nem se importava com a influência dos que O estavam julgando, pois Ele sabia que no final há um Supremo Juiz diante do qual todos, juízes e políticos, terão de prestar contas.

O tribunal O condenou por falsos crimes e O sentenciou à morte, tudo porque Ele mudou corações e mentes de multidões com um grupo de apenas 12 homens. Ele foi condenado por ódio e inveja religiosa e política.

A morte dEle, mais do que qualquer política governamental, trouxe esperança e redenção para milhões de oprimidos. Diferente das ideologias que derramam o sangue de milhões, Ele derramou Seu próprio sangue por milhões.

Nunca antes houve um homem como Ele.

No Natal, vamos nos lembrar do Aniversariante, que nasceu para prometer as bênçãos de redenção, socorro e provisão do Pai para toda a humanidade e morreu para garantir o cumprimento.

Crentes devem celebrar o natal?

O Natal não era considerado entre as primeiras festas da Igreja. Os primeiros indícios da festa provêm do Egito.  Foi no século V que a Igreja Católica determinou que o nascimento de Jesus Cristo fosse celebrado no dia 25 de dezembro.

A conclusão que chegamos é que o natal surgiu com a finalidade de substituir as práticas idólatras e pagãs que influenciava sociedade da época. Hoje como no passado a humanidade continua fazendo desta festa pretexto pra bebedeiras, danças e orgias. Se não bastasse isso, todos sabemos que milhões de pais em todo o mundo (Muitos destes cristãos) levam seus filhos pequenos a acreditarem em Papai Noel, dizendo-lhes que foi o bochechudo velhinho que lhes trouxe um presente. Ora, a figura do papai Noel tem origem nos países nórdicos, referindo-se a um senhor idoso, denominado Klaus, que saía distribuindo presentes a todos quanto podia. Infelizmente, numa sociedade materialista e consumista, o tal Papai Noel é mais desejado do que Jesus de Nazaré, afinal de contas, ele é o bom velhinho que satisfaz os luxos e desejos de todos quanto lhes escrevem missivas recheadas de vaidades e cobiças. Se não bastasse, junta-se a isso a centralidade em muitos lares cristãos de uma Árvore recheada de bolinhas coloridas.

O espírito consumista e mercantilista do natal, bem como a ênfase na árvore e no papai Noel, se contrapõe a mensagem do evangelho que anuncia que Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho pra morrer por nós. Aliás, esta é a grande nova! Deus enviou seu filho em forma de Gente! Sem sombra de dúvidas, sou absolutamente contra, duendes, Papai Noel e outras coisas mais que incentivam este “espírito mercantilista natalino”. No entanto, acredito que antes de qualquer posição, decisão ou dogmatização, quanto ao que fazer “do e no natal” devemos responder sinceramente pelo menos três indagações:

1. Será que existe alguma festividade ou festa no mundo que tenha o poder de convergir tanta gente em torno da família, do lar como o natal?

2. Em virtude do grande poder e influência que o natal exerce na sociedade ocidental será que não deveríamos aproveitar a oportunidade e anunciar a todos quanto pudermos que um “menino nos nasceu e um filho se nos deu”?

3. Seria inteligente de nossa parte desconsiderarmos o natal extinguindo-o definitivamente do “nosso” calendário em virtude do“espírito mercantilista natalino” que impera na nossa sociedade?

Portanto, comemorar o natal, (ainda que saibamos que Jesus não nasceu no dia 25 de dezembro) significa em outras palavras relembrar a toda a humanidade que Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito, pra que todo aquele que nele cresse não perecesse mais tivesse vida eterna.

Isto nos leva a seguinte conclusão:


1. O natal nos oferece uma excelente oportunidade de evangelização.  Acredito que o natal seja uma excelente ocasião pra anunciar a cristo aos nossos familiares e amigos. Isto afirmo, porque geralmente é no natal onde a maioria das famílias se reúnem. O natal nos propicia uma grande oportunidade de proclamarmos com intrepidez a cristo. Junta-se a isso, que o período de fim de ano é um momento de reflexão e avaliação pra muitos. E como é de se esperar, em um mundo onde a sociedade é cada vez mais competitiva e egoísta, a grande maioria, sofre com as dores e marcas deste mundo caído e mau. É comum nesta época o cidadão chegar a conclusão de que o ano não foi tão bom assim. A conseqüência disto é a impressão na psique do individuo de sentimentos tais como frustração, depressão, angústia e ansiedade. E é claro que tais sentimentos contribuem consideravelmente a uma abertura maior a mensagem do evangelho.

Um outro fator preponderante que corrobora pra evangelização é significativa abertura ao sagrado e ao sobrenatural que a geração do século XXI experimenta. No inicio do século XX, acreditava-se que quanto mais o mundo absorvesse ciência menor seria o papel da religião. De lá pra cá a tecnologia moderna se tornou parte essencial do cotidiano da maioria dos habitantes do planeta e permitiu que até os mais pobres tivessem um grau de informação inimaginável 100 anos atrás. Apesar de todas essas mudanças, no inicio do século XXI o mundo continua inesperadamente místico. O fenômeno é global e no Brasil atinge patamares impressionantes.

A Revista Veja encomendou uma pesquisa ao Instituto Vox Populi, perguntando as pessoas se elas acreditavam em Deus. A maioria absoluta ou seja, 99% dos brasileiros responderam que acreditavam. Sem dúvida, o momento é impar na história, até porque, com exceção de alguns períodos da história mundial o mundo nunca esteve tão aberto ao sagrado como agora. Diante disto, será que o natal não representa uma excelente oportunidade de evangelização?

2. O natal nos oferece uma excelente oportunidade de reconciliação e perdão.Você já se deu conta que a ambiência do natal proporciona uma abertura maior à reconciliação e perdão? Repare quantas famílias se recompõem, quantos lares são reconstruídos, quantos pais se convertem aos filhos e quantos filhos se convertem aos pais. Será que a celebração do natal não abre espaço nos corações pra reconciliação e perdão? Ora, O senhor Jesus é aquele que tem o poder de construir pontes de misericórdia bem como de destruir as cercas da indiferença e inimizade.

3. O natal nos oferece uma excelente oportunidade de sermos solidários em uma terra de solitários.Por acaso você já percebeu que no natal as pessoas estão mais abertas a desenvolver laços de fraternidade e compaixão com o seu próximo? Tenho para mim que o natal pode nos auxiliar a lembrarmos que a vida deve ser menos solitária e mais solidária. Isto afirmo porque o natal nos aponta o desprendimento de Deus em dar o seu filho por amor a cada de um nós. O Nosso Deus se doou, se sacrificou e amou pensando exclusivamente no nosso bem estar e salvação eterna. Você já se deu conta que o natal é uma excelente oportunidade pra nos aproximarmos daqueles que ninguém se aproxima além de exercermos solidariedade com aqueles que precisam de amor e compaixão?

Sem qualquer sombra de dúvida devemos repulsar tudo aquilo que seja reflexo deste “espírito mercantilista natalino”. Duendes, papai Noel, devem estar bem longe da nossa prática cristã. Entretanto, acredito que como portadores da verdade eterna, devemos aproveitar toda e qualquer oportunidade pra semear na terra árida dos corações a semente da esperança. Jesus é esta semente! Ele é a vida eterna! O Filho de Deus, que nasceu, morreu e ressuscitou por cada um de nós. A missão de pregar o Evangelho nos foi dada, e com certeza, cada um de nós deve fazer do natal uma estratégia de proclamação e evangelização. Celebremos irmãos e anunciemos que o Salvador nasceu e vive pelos séculos dos séculos amém.

Jesus em quinto lugar no Brasil cristão

Saiu uma pesquisa no site da revista Forbes que mostra que Jesus Cristo está em quinto lugar no ranking dos nomes mais admirados pelos brasileiros. Na frente de Jesus estão Angelina Jolie, Lula, Silvio Santos e Bill Gates.

Acho que a pesquisa simplesmente revela o que já sabíamos. Ela mostra que apesar da grande maioria dos brasileiros declararem que acreditam em Deus, poucos realmente têm a fé correta. Mais de 90% dos brasileiros têm fé, mas em que e em quem? Somente a fé em Jesus Cristo como Senhor e Salvador único pode realmente salvar. A pesquisa mostra um quadro mais realista da situação religiosa brasileira do que as pesquisas que indicam um grande número de pessoas que acreditam em Deus.

Acho também que a pesquisa mostra que grande parte dos que se declaram católicos ou evangélicos não freqüentam as igrejas ou não praticam sua religião. É preciso apenas esclarecer que a proporção de desigrejados e não praticantes é provavelmente muito maior entre os católicos do que entre os evangélicos. Apesar de menor do que se pensa, todavia há crescimento sensível no Brasil dos que professam fé verdadeira na pessoa de Jesus Cristo, conforme o encontramos nas Escrituras.

Outro dado interessante da pesquisa é que a maioria das pessoas entrevistadas dizem não acreditar que alguém precisa ser rico para ser feliz. Todavia, as pessoas que elas mais admiram, de acordo com a lista, são pessoas ricas ou milionárias, além de bem sucedidas.

O que transparece é que quando os brasileiros dizem que o dinheiro não traz felicidade, estão apenas sendo politicamente corretos. Os indícios de que todos desejam ser ricos estão em todo lugar. A própria teologia da prosperidade, que domina grande parte dos que se chamam evangélicos neopentecostais, é uma teologia que promete felicidade mediante o sucesso financeiro. Não somente a sociedade brasileira, como também a igreja evangélica brasileira, está profundamente influenciada pelo materialismo e secularismo que predomina no mundo ocidental hoje.

O que nos fortalece é saber que Deus nunca deixou de ter uma igreja fiel que o ama e serve acima de todas as coisas.

Conclusões que cheguei sobre alguns dos evangélicos.

Os últimos acontecimentos no meio evangélico brasileiro onde o evangelho de Cristo foi relativizado por alguns, me levaram as seguintes conclusões:


Infelizmente alguns dos evangélicos não querem mais as doutrinas da graça, preferem prosperidade a qualquer preço.

Infelizmente alguns dos evangélicos não não querem mais adorar a Deus, querem shows.

Infelizmente alguns dos evangélicos abandonaram as verdades do evangelho, preferem promessas!

Infelizmente alguns dos evangélicos não querem mais pregar sobre arrependimento, querem vitória a qualquer preço.

Infelizmente alguns dos evangélicos não querem mais viver uma vida de quebrantamento, querem determinar as bênçãos de Deus.

Infelizmente alguns dos evangélicos não querem mais as Escrituras Sagradas, preferem "o reteté de Jeová".

Infelizmente alguns dos evangélicos não querem mais pregar o evangelho, preferem um cristianismo "cabalistico" cheio de números.

Infelizmente alguns dos evangélicos não querem mais ser chamados de servos, preferem o titulo de apóstolo.

Infelizmente alguns dos evangélicos não querem mais viver uma vida simples, querem ser apóstolos.

Infelizmente alguns dos evangélicos não querem mais a mensagem libertadora da Cruz de Cristo, querem quebrar maldições hereditárias.

Infelizmente alguns dos evangélicos não querem mais a previdência divina, querem primicias.

Infelizmente alguns dos evangélicos não querem mais a graça, querem vender indulgências.

Infelizmente alguns dos evangélicos não querem mais servir a Deus como mordomos, querem fazer de Deus o seu gênio da lâmpada mágica.

Dias dificeis os nossos!

“E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita.” (II Pedro 2 :3)

A idolatria evangélica por Silas Malafaia


O pessoal do Cante as Escrituras tirou uma foto interessantíssima na cruzada evangelística do pastor Silas Malafaia aqui em Fortaleza.


Na ocasião, nossos irmãos testemunharam uma multidão de pessoas comprando por singelos R$ 2,00 (Dois Reais), bandanas e gravatas com o nome do ex-bigodudo.

Segundo o pessoal do Cante as Escrituras, uma enorme quantidade de fãs compraram os apetrechos "malafalianos" demonstrando assim sua veneração ao polêmico pastor.

Confesso que estou assustado com a idolatria evangélica! Sinceramente diante do que vejo sou levado a crer que alguns dos evangélicos estão ensandecidos. Ora, fazer bandanas e gravatas com o nome do Silas Malafaia é o cúmulo da idolatria.

Pois é, diante desta loucura manifesto a minha preocupação com o rumo da igreja evangélica brasileira. Lamentavelmente parte dos evangélicos está acreditando num evangelho absolutamente diferente do pregado por Jesus e pelos apóstolos.

Diante do exposto, resta-nos chorar diante do Senhor pedindo a ele que nos perdoe os pecados e mude definitivamente os rumos da Igreja de Cristo

Por que eu não assisti o Festival Promessas da Globo


“Aleluia! Chegamos lá! Que Bênção, o Brasil todo está vendo a música gospel na tela da Globo. Aha, Uhu, a Globo é nossa!


Pois é, essa foi a reação de irmãos em Cristo sobre o Festival Promessas, promovido pela Rede Globo de Televisão. Ao contrário destes e de milhares de evangélicos deste país, eu não vejo esse evento com bons olhos. Na verdade, a impressão que tenho sobre este festival é a pior possível.

É ingenuidade da nossa parte achar que a Vênus Platinada, resolveu alegremente privilegiar a música evangélica brasileira, não é verdade? É claro que os interesses globais estão bem além dos ritmos e melodias entoadas pelos cantores evangélicos tupiniquins.

Enumero dentre muitas, pelo menos 04 razões pelas quais eu não me alegro com este festival:
1- A motivação da Rede Globo de televisão é exclusivamente financeira. É sabido que os evangélicos são os que menos pirateiam CDS e DVDS. Um publico deste tipo é interessantíssimo, o que contribui para o desejo platinado de adentrar em um mercado tão promissor.

2- A briga com a Record. A Globo nitidamente resolveu polarizar com a Rede Record tentando trazer para o seu lado milhões de evangélicos decepcionados com a TV de Edir Macedo. Na verdade, o objetivo final da emissora carioca é audiência, dinheiro e novos negócios além é claro de esvaziar a audiência da concorrente.

3- O famigerado show business evangélico. Os shows evangélicos afrontam o nome de Deus. Em nome de um cristianismo tosco, cantores comercializam a fé fazendo da adoração ao Senhor um grande e bom negócio.

4- A industria do entretenimento gospel. Em nenhum momento nós vemos nas Escrituras qualquer tipo de mandamento ou instrução por parte do Senhor de que a Igreja deveria promover entretenimento. A igreja foi chamada para glorificar a Cristo e pregar o Evangelho da Salvação Eterna. Ao fazer de Deus seu instrumento de lazer e descontração, a igreja peca contra o terceiro mandamento tomando o nome do Senhor em vão.

Rede Globo e Silas Malafaia: Dois tubarões de olho no mercado gospel

A TV Globo dedicou no domingo (18), 75 minutos de sua programação à transmissão do evento Festival Promessas, apresentação de nomes consagrados do mundo gospel que aconteceu no Aterro do Flamengo, atraindo cerca de 20 mil pessoas, número bem abaixo do esperado. Apesar disso, ícones da música gospel elogiaram o evento. Regis Danese, empolgado, diz que “a música evangélica atingiu um público sem precedentes” e a cantora Fernanda Brum disse que o Festival “abre um novo tempo para os evangélicos”.

Os números do Ibope confirmaram a expectativa da emissora, de que o segmento gospel é um grande filão do mercado publicitário e musical. Segundo a Folha Online, o festival teve tratamento VIP na Globo e consumiu R$ 2,9 milhões da Prefeitura do Rio.

Surpreendente mesmo foi a propaganda dos produtos do pastor Silas Malafaia no intervalo do festival. Bastou a propaganda ir ao ar para o nome do pastor ocupar rapidamente um dos primeiros lugar nos TTs do Brasil. As reações foram negativas, na sua maioria. Muitos viram com estranheza a propaganda da central gospel na Rede Globo. Outros ainda julgavam que esta era possivelmente a grande razão porque o pastor passou dias seguidos pedindo audiência para a Rede Globo.

Segundo fontes do setor, no mercado gospel circulam R$ 2 bilhões anuais. Ao que tudo indica emissora fez do festival promessas seu cartão de visitas para este segmento em ascensão.

Estima-se que os evangélicos já sejam aproximadamente 20% da população brasileira, segundo o Novo Mapa das Religiões publicados pela Fundação Getúlio Vargas neste ano.

A menina mais cristã do mundo

Eu me emocionei ao ver esse video, pois vi nessa garotinha o comportamento que eu, você e todos os cristãos deveríamos ter: você leva uma mordida, uma patada, o que for, mas depois perdoa, ama, compreende, abraça, se dedica. Quem faz o contrário do que essa menina fez, ou seja, é contrariado e sai distribuindo agressões, patadas e ofensas não entendeu o que é verdadeiramente ser cristão. E está fadado a viver em amargura.


“Eu lhes asseguro que, a não ser que vocês se convertam e se tornem como crianças, jamais entrarão no Reino dos céus” (Mateus 18.3).

Fumavam maconha com as folhas da bíblia

Folhas da Bíblia sendo usada como papel seda para se fumar maconha?

Jô Soares diz que a Bíblia tem realmente mil e uma utilidades!

E no final, ainda elogia os caras,dizendo que “são gente que sabe o que escreve e o que faz”.



Isso que é cultura, Jô?

“Mas estes, como animais irracionais, que seguem a natureza, feitos para serem presos e mortos, blasfemando do que não entendem, perecerão na sua corrupção,” 2 Pedro 2:12.

Câmara dos Deputados aprova projeto que proíbe pais de disciplinar filhos


A bancada evangélica teve como única medida trocar o termo “castigo corporal” para “agressão física”. Mesmo assim, a Agência de Notícias da Câmara dos Deputado deixou claro que a aprovação vai proibir diretamente o “uso de castigos físicos em crianças e adolescentes”. O jornal esquerdista Folha de S. Paulo disse que a relatora “Teresa Surita negou que tenha havido discordância entre membros da comissão e da bancada evangélica. Segundo ela, eles ‘só estavam querendo conhecer o projeto’ e contribuíram para aperfeiçoar o texto final. De acordo com o deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), representante dos evangélicos, em nenhum momento a bancada evangélica teve o intuito de vetar o projeto”.


Lamentável o despreparo da bancada evangélica. Se nenhum deputado entrar com recurso até o prazo limite, o projeto irá diretamente para o Senado, iniciando a contagem regressiva para a criminalização dos pais.

Basta. Estou farto. ( 7 )

Basta. Estou farto.

Estou farto do reteté vazio e sem sentido.

Estou farto de emergentes que acham que Jesus tem que dançar tecnopop para ganhar almas.

Estou farto do amor antibiico do universalismo.

Estou farto dos falsos Jesus ensinados por falsos mestres.

Estou farto de gente que constrói Deus segundo suas conveniências pessoais.

Estou farto de programas “evangélicos” na TV.

Estou farto de gente que inventa que foi ao Céu ou ao Inferno para ganhar dinheiro vendendo livros ou dando testemunhos.

Estou farto de testemunhos e milagres inventados.

Estou farto de gente que acha que precisa “ajudar” Deus seja lá no que for.

Eu estou farto da minha própria pecaminosidade.

Eu estou farto de gente que diz “eu estou farto” e “basta” mas não faz nada para mudar o que está errado.

Mas…

…meu consolo é que acredito piamente que Deus também está farto de tudo isso.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Festival Promessas: Presente da Globo ou Fraqueza Gospel?


Após exercer sua pedagogia entorpecente de viciar as irmãzinhas em suas novelas, cauterizar os “irmãos crentassos” no futebol do domingo a tarde e de uma forma geral, preender a atenção do “rebanho gospel” nas noitadas dos Big-Brother’s, a Rede Globo presenteia a massa evangélica com uma programação específica – “O Festival Promessas”. Ufa… Que bom! Agora a boiada crente não precisará se desviar para as programações seculares da Globo, muito pelo contrário, abandonará os programas perniciosos para tão somente se voltar aos louvores cantados pelos representantes do “Gospel” nacional. – Será?!

Para uma grande maioria de cristãos, a presença dos “astros” do gospel na telinha global significou uma vitória e um marco na história da música evangélica. – Eu não acho nada disso!! Não pelo fato de se estar nela, mas pela forma e circunstâncias de como isso está ocorrendo. Se antes de serem globais, o “brilho” desses astros já extrapolaram o exclusivismo, estrelismo, e valor de mercado, imaginem agora o quanto o passe desses abençoados serão valorizados? Fico pensando… quanto custará um show do “Davi Sacer global” após o Troféu Promessas? Ou, o quanto custará uma ministração da “Ana Paula Valadão global”?

O que trago abaixo são algumas considerações vistas a partir do meu lugar social:

- A Globo não está interessadas em divulgar o Evangelho de Cristo – seu núcleo é abalizado numa crença mística entre espiritismo e ocultismo.

- Após perceber o crescimento substancial dos fiéis da IURD, os quais (in)diretamente contribuem para enriquecimento da emissora, logo cuidou de entrar nesse campo de disputa onde o fator religioso passa a ser determinante para exercer o domínio sobre as massas.

- Ao perceber que a população evangélica já chega aos 15% do total no Brasil, tornou-se sensato montar uma estrutura de consumo (programações, produtos, CDs, livros, shows, etc.) para esse percentual. – Quem duvida que num futuro próximo não exista um Big-brother só para crentes? (#PREMUNIÇÃO)

- A marca “Gospel” tem se mostrado bastante rentável. Isso fez com que a Som Livre, rapidamente fechasse contrato com algumas estrelas do segmento. Nesse pano de fundo, também se comporta a disputa de gravadoras da Record x Globo.

- Essa situação gera desconforto no sentido de que a Globo, uma vez que conectada a Som Livre, formatará metas de venda e valorização dos seus produtos, agenciando sempre que lhe interessar, a utilização dos seus parceiros de contrato em aparições em programações diversas, manipulando-os e usufruindo-se do relativismo religioso que tanto se adequa a diversidade religiosa das massas.

- Já os queridos astros, na desculpa de que estão levando a Palavra a Nação, correrão sérios riscos como: apresentar um Evangelho distorcido, adaptado, relativo (a exemplo do que ocorreu com Ludmila Ferber no Faustão), cair na tentação de propostas comprometedoras, passar por vexames , situações indesejadas, ou tornarem-se até mesmo paparazzos de Gezui$ (…) e por aí vai um tanto de possibilidades.

Pra encerrar, quero deixar meus pêsames aos queridos irmãos e grupos: Stênio Marcius, Jorge Camargo, Tiago Vianna, João Alexandre, Crombie, Josué Rodrigues, Nelson Bomilcar, Baixo e Voz, VPC, Grupos Logos, Carlinhos Veiga, Gladir Cabral, Gerson Borges, Carol Gualberto… – Galera, não deu pra vocês dessa vez! Aliás, quem são vocês mesmo?

Edir Macedo é espírita?

Edir Macedo, líder da igreja Universal do Reino de Deus e dono da Rede Record de Televisão, sempre foi um indivíduo sincretista. Para propagar sua seita, o bispo faz uso de objetos importados da macumba, do candomblé e da umbanda, sendo constantemente criticado por misturar cristianismo com ritos africanos, e justamente os mesmos ritos religiosos que ele pretendia combater.
No entanto, cada vez se torna mais evidente que Macedo não só usa objetos importados do culto pagão, como também sustenta muitas das crenças divulgadas nos terreiros de macumba, tais como a necessidade de “banhos de descarrego”, água benta e arruda, além da forte ênfase no maniqueísmo religioso. Agora, em um vídeo divulgado na internet, Macedo declara sua fé na existencia de “espíritos familiares”, que seriam espíritos de pessoas mortas que possuiriam os corpos das pessoas fazendo-as pecar e induzindo-as ao sofrimento.

Veja o vídeo clicando no link abaixo:

http://vimeo.com/33228755

É de ruborizar as crencas defendidas pelo líder da IURD. A Bíblia declara em Hebreus 9.27 que “ao homem está ordenado morrer uma só vez, e depois segue-se o juízo”. Após a morte, o espírito aguarda a sentenca de Deus, e não pode voltar a este mundo. Isso também fica claro na história do Rico e de Lázaro (Lc 16.19ss), onde é demonstrada com absoluta clareza a impossibilidade de que uma pessoa morta volte a este mundo em espírito, seja para advertir, ajudar ou prejudicar a vida de quem quer que seja.

Diante disso, não nos resta outra coisa a fazer, senão repetir o que há muito estamos dizendo neste espaço, isto é, “que a igreja Universal, liderada pelo bispo Macedo pode até ser considerada uma grande empresa religiosa, mas não é evangélica e nem mesmo cristã”. Ela tem mais similaridades com os cultos pagãos do que com as doutrinas da reforma protestante.

Basta. Estou farto. ( 6 )

Basta. Estou farto.

Farto de igrejas que investem seu dinheiro naquilo que não glorifica Deus.

Farto de pastores que usam o dízimo sagrado para fazer negócios que em nada dignificam o nome do Senhor.

Farto de cristãos que passam cheques sem fundos.

Farto de líderes que fazem propaganda de políticos em troca de benefícios materiais.

Farto de pastores que se preocupam mais com construção de paredes do que pastorear ovelhas.

Farto de um cristianismo mais ligado à terra que ao Céu.

Farto de barbaridades feitas em nome de anjos.

Farto de crianças pregadoras.

Farto do joio.

Farto do trigo abusador.

Farto de grupos de dança de igreja que só servem para agradar homens e atrapalham o culto.

Farto de músicos de igreja que se mandam eles pararem de tocar abandonam a igreja.

Farto de crente que gosta de aparecer.

Farto de haver tantas coisas ligadas à fé que me fazem estar farto com tantas coisas ligadas à fé.

Eu estou farto da minha própria pecaminosidade.

Existe abuso espiritual? Pastor diz que sim e mostra sete formas usadas por líderes cristãos

O livro foi escrito em 1991 mas as regras continuam bastante atuais e visíveis em muitos ministérios brasileiros.

Ronald M. Enroth, pastor americano, resolveu acompanhar algumas pessoas que se desligaram da Jesus People USA, um grupo religioso dos Estados Unidos, e coletou informações sobre como os pastores faziam pressão psicológica para impedir que o povo deixassem sua congregação.


As atitudes usadas por eles foram marcadas como “abuso espiritual” e foram relatadas em um livro assinado por Ronald que também é sociólogo de religião. Apesar de ser uma pesquisa realizada nos Estados Unidos percebem que muitas dessas atitudes são aplicadas nas igrejas brasileiras para impedir que os membros se desliguem e partam para outros ministérios.

O pastor Enrolth listou no livro “Churches That Abuse”, lançado em 1991, sete formas de abuso espiritual praticado por igrejas evangélicas. Entre elas a distorção da Palavra, a criação de uma liderança autocrática, o sentimento de superioridade em relação ao outros grupos religiosos e o elitismo espiritual.

O pastor Serol, da Igreja Batista da Palavra Viva resumiu As Sete Regas do Abuso Espiritual em seu blog.

Confira:

1) Scripture Twisting (Distorção da Escritura): para defender os abusos usam de doutrinas do tipo “cobertura espiritual”, distorcem o sentido bíblico da autoridade e submissão, etc. Encontram justificativas para qualquer coisa. Estes grupos geralmente são fundamentalistas e superficiais em seu conhecimento bíblico. O que o líder ensina é aceito sem muito questionamento e nem é verificado nas Escrituras se as coisas são mesmo assim, ao contrario do bom exemplo dos bereanos que examinavam tudo o que Paulo lhes dizia.

2) Autocratic Leadership (liderança autocrática): discordar do líder é discordar de Deus. É pregado que devemos obedecer ao discipulador, mesmo que este esteja errado. Um dos “homens de Deus” de uma igreja diz que se jogaria na frente de um trem caso o “Líder” ordenasse, pois Deus faria um milagre para salvá-lo ou a hora dele tinha chegado. A hierarquia é em forma de pirâmide (às vezes citam o salmo 133 como base), e geralmente bastante rígida. Em muitos casos não é permitido chamar alguém com cargo importante pelo nome, (seria uma desonra) mas sim pelo cargo que ocupa, como por exemplo “pastor Fulano”, “bispo X”, “apostolo Y”, etc. Alguns afirmam crer em “teocracia” e se inspiram nos líderes do Antigo Testamento. Dizem que democracia é do demônio, até no nome.

3) Isolationism (Isolacionismo): o grupo possui um sentimento de superioridade. Acredita que possui a melhor revelação de Deus, a melhor visão, a melhor estratégia. Eu percebi que a relação com outros ministérios se da com o objetivo de divulgar a marca (nome da denominação), para levar avivamento para os outros ou para arranjar publico para eventos. O relacionamento com outros ministérios é desencorajado quando não proibido. Em alguns grupos no louvor são tocadas apenas músicas do próprio ministério.

4) Spiritual Elitism (Elitismo espiritual): é passada a idéia de que quanto maior o nível que uma pessoa se encontra na hierarquia da denominação, mais esta pessoa é espiritual, tem maior intimidade com Deus, conhece mais a Biblia, e até que possui mais poder espiritual (unção). Isso leva à busca por cargos. Quem esta em maior nível pode mandar nos que estão abaixo. Em algumas igrejas o número de discipulos ou de células é indicativo de espiritualidade. Em algumas igrejas existem camisetas para diferenciar aqueles que são discípulos do pastor. Quanto maior o serviço demonstrado à denominação, ou quanto maior a bajulação, mais rápida é a subida na hierarquia.

5) Regimentation of Life (controle da vida): quando os líderes, especialmente em grupos com discipulado, se metem em áreas particulares da vida das pessoas. Controlam com quem podem namorar, se podem ou não ir para a praia, se devem ou não se mudar, roupas que podem vestir, etc. É controlada inclusive a presença nos cultos. Faltar em algum evento pro motivos profissionais ou familiares é um pecado grave. Um pastor, discípulo direto do líder de uma denominação, chegou a oferecer atestados médicos falsos para que as pessoas pudessem participar de um evento, e meu amigo perdeu o emprego por discordar dessa imoralidade.

6) Disallowance of Dissent (rejeição de discordâncias): não existe espaço para o debate teológico. A interpretação seguida é a dos lideres. É praticamente a doutrina da infalibilidade papal. Qualquer critica é sinônimo de rebeldia, insubmissão, etc. Este é considerado um dos pecados mais graves. Outros pecados morais não recebem tal tratamento. Eu mesmo precisei ouvir xingamentos por mais de duas horas por discordar de posicionamentos políticos da denominação na qual congregava. Quem pensa diferente é convidado a se retirar. As denominações publicam as posições oficiais, que são consideradas, obviamente, as mais fiéis ao original. Os dogmas são sagrados.

7) Traumatic Departure (saída traumática): quem se desliga de um grupo destes geralmente sofre com acusações de rebeldia, de falta de visão, egoismo, preguiça, comodismo, etc. Os que permanecem no grupo são instruídos a evitar influências dos rebeldes, que são desmoralizados. Os desligamentos são tratados como uma limpeza que Deus fez, para provar quem é fiel ao sistema. Não compreendem como alguém pode decidir se desligar de algo que consideram ser visão de Deus. Assim, se desligar de um grupo destes é equivalente a se rebelar contra o chamado de Deus. Muitas vezes relacionamentos são cortados e até familias são prejudicadas apenas pelo fato de alguém não querer mais fazer parte do mesmo grupo ditatorial.

Precisa de ajuda para se livrar da pornografia?


Esta semana, fiquei pensando sobre como eu não estaria “pronto” há algum tempo atrás para ajudar um irmão que tivesse problema na área da pornografia.  

Sim. Eu tive problemas SÉRIOS com pornografia. E duvido que encontraremos alguém dentro da igreja que por toda sua vida passou absolutamente imune a isto. Mas… EU FUI CURADO. COMPLETAMENTE CURADO.

Por que estou falando abertamente sobre estas coisas? Por que sofri quando não podia confiar em outras pessoas para pedir ajuda. E agora sofro vendo pessoas atravessando por este deserto sozinhas.

Em Mateus 9:11-12 está escrito:

“E os fariseus, vendo isso, perguntavam aos discípulos: Por que come o vosso Mestre com publicanos e pecadores? Jesus, porém, ouvindo isso, respondeu: Não necessitam de médico os sãos, mas sim os enfermos.”

Pare um segundo para pensar. Afinal, QUEM SÃO OS ENFERMOS?

Basta ligar a TV para ver pessoas vivendo fábulas fantasiosas em busca do “favor” de Deus. Mas qual tem sido a abertura da IGREJA DE CRISTO para receber as pessoas que estão sofrendo com o pecado da pornografia? Não seria a IGREJA DE CRISTO um lugar onde TODOS NÓS (OS ENFERMOS) nos reunimos para servir uns aos outros, abrindo mão gradativamente de nossos pré-conceitos, buscando a verdadeira REVELAÇÃO (que é explícita na palavra de Deus) para que possamos viver o AMOR FRATERNAL que Cristo expressou até mesmo pelas prostitutas e cobradores de impostos?

ACREDITE, JESUS QUER CURAR SUA VIDA… E NÓS QUEREMOS TE AJUDAR A ENCONTRAR ESTA CURA.

Não estamos aqui para proferir condenação. Mas para proclamar o verdadeiro AMOR.

Estamos dispostos não somente a ORARMOS, mas também a vivermos juntos.

Ainda está em dúvidas?  

Pode me procurar:  pjalencar@hotmail.com

A Teologia da Prosperidade numa versão “bonitinha” e emocionante, para melhor enganar VOCÊ

Há algumas semanas, o Ministério Transforme Seu Mundo (TSM), dos pastores Rozane e Altomir Cunha, têm colocado em seu programa semanal de tv (arrendado do colega Pr. Silas Malafaia) na Rede TV um vídeo chamado “Semente”, onde mostram, numa edição que objetiva emocionar e manipular os telespectadores, a importância e o poder da tal “Lei da Semeadura ou da Colheita”. Essa lei tem sido divulgada nacionalmente nos programas do papa gospel da Teologia da Prosperidade, o Malafaia em pessoa.

Enfim, disponibilizamos o tal vídeo, com alguns comentários inclusos, que realçam passagens bizarras da explanação da pastora. É de chorar, é muito triste, mas mostra como os demônios podem se travestir de anjos de luz, ensinando abertamente heresias como se fossem algo divino e maravilhoso. Atentem para as imagens positivas e o tom de voz da pastora, escolhidos para dar uma ênfase espiritual e de bondade e amor à tal falsa doutrina.

Tristes esses dias em que vivemos, onde presenciamos o amor de muitos, ao próximo e a Deus, esfriar. E onde observamos crescer, na mesma medida, o amor ao dinheiro e aos tesouros aqui da terra.

Veja o Vídeo:

Livro polêmico revela “segredos sujos” sobre o pastor Mike Murdock

Salomão ficou famoso nas páginas da Bíblia por sua sabedoria, bem como pelas mulheres que colecionou e pela lendária fortuna que acumulou. Entre os televangelistas que fizeram fama no mundo gospel, alguns ficaram conhecidos por ministérios de cura, outros por enfatizar a prosperidade e alguns por afirmarem ser capazes de realizar milagres.

O pastor Mike Murdock se diferencia entre a maioria deles por enfatizar justamente a necessidade de sabedoria. Ele escreveu dezenas de livros sobre o assunto e criou, inclusive, o Centro de Sabedoria, sede de seu ministério em Fort Worth, Texas.

Mas quando ele se tornou famoso, aparecendo em programas diversos e sempre comparando a busca por sabedoria com o acúmulo de riquezas, passou a chamar atenção de muita gente dentro e fora da igreja.

O jornal texano Star-Telegram fez, em 2003, uma série de reportagens investigativas sobre O Centro de Sabedoria e o ministério de Mike Murdock. A questão levantada pelos repórteres era o acúmulo de riquezas por um pastor que afirmava manter uma organização sem fins lucrativos. O jornal, dedicou um grande espaço para mostrar os jatinhos e carrões que ele possuía, além dos esplendores da imensa propriedade de 7 hectares que Murdock mantém em Argyle, Texas.

Naquela ocasião, o Star-Telegram contou com o apoio da Trinity Foundation [Fundação Trindade], que se descreve como uma organização disposta a “monitorar e investigar a fraude religiosa desde 1987”. O próprio pastor Mike contou, quando esteve no Brasil, que depois de muitas investigações do departamento de Imposto de Renda e do jornal, nada ficou provado e ele nunca foi condenado.

Em 2011, novamente Mike Murdock e seu ministério estão sendo acusado de fraudes, mas de uma maneira diferente. O ex-missionário Brian “Trey” Smith publicou um livro chamado “Thieves: A dirty TV pastor and the man who robbed him” [Ladrões: um pastor da TV desonesto e o homem que o roubou], onde descreve, com riqueza de detalhes, os bastidores do ministério de Murdock e sua obsessão, a exemplo de Salomão, por mulheres e riquezas.

Em 1998, Trey estudava no seminário Cristo para as Nações, em Dallas. Seu melhor amigo naquela época era Jason Murdock, filho único do pastor Mike. Ele diz que rapidamente passou a ficar íntimo da família e passava horas na mansão da família e conheceu uma “sala secreta”, que possuía alarmes eletrônicos e abrigava um grande forte.

Trey e Jason passavam horas naquela sala, experimentando os caros relógios Rolex, pulseiras de ouro e anéis de diamante, jogando cara ou coroa com valiosas moedas antigas e folheando uma grande coleção de revistas pornô. Eles também faziam uso de bebidas alcoólicas e drogas.

Aos poucos, Trey relata que foi ficando com raiva de ver o pastor Murdock aparecer na TV o tempo todo falando sobre Deus enquanto vivia uma vida que não condizia com suas pregações. Ele relata que o pastor Murdock mantinha um mini-zoológico, que incluía inclusive um leão de estimação, várias limusines e vivia acompanhado de prostitutas de luxo.

Em seu livro ele descreve a situação assim:

“Considerava a sala secreta de Mike uma conta pessoal, onde podia fazer saques pequenos enquanto, em troca, mantinha minha boca fechada. É um fardo viver em uma bolha cristã, sem nunca poder falar sobre o paraíso escondido do pregador, com prostitutas siliconadas, brinquedos sexuais, pornografia pesada, e tudo que o dinheiro podia comprar… Em minha mente, era tudo um comércio, um arranjo sórdido…


Naquela época, eu entrava no closet do pai do meu melhor amigo como o cara que descobriu a tumba do faraó. Havia caixas e caixas de anéis, braceletes e colares de ouro, moedas raras e uma desorganizada coleção de selos muito valiosos… Mas nada se comparava ao que imaginávamos haver dentro do grande cofre, que ficava no meio do quarto. Nunca conseguimos abri-lo, mas passei a deseja-lo. Sonhava com isso, fantasiava como seria… Não queria apenas roubar o seu dinheiro… Mais do que isso, eu tinha realmente aprendido a odiar aquele homem e tudo que ele representa.

Odiava as mentiras, o engano, a ganância, os acordos de bastidores, os segredos, o sexo e toda a dor que ele causava aos cristãos falando sobre a necessidade de eles terem fé no “deus dólar”. Para mim, dentre os televangelistas, Mike Murdock era o pior. Enquanto o mundo estava assistindo-o pregar de terno, gravata e Bíblia aberta em suas telas de televisão, eu conhecia os lugares que ele nunca mostraria perante as câmeras.

Eu sentia que todos seus mantenedores tinham sido injustiçado. Iria apenas consertar as coisas. Eu sabia que praticamente nada daquele dinheiro era destinado para o que Murdock chamava de “instituições de caridade.”Eram apenas uma fachada que ajudavam a manter seu desejo por ter ouvintes obedientes, posses terrenas, contas bancárias de grande porte, mulheres bonitas, escapadas sexuais e sede de poder. Por todas estas razões, eu não me sentia nem um pouco mal por tomar até o último centavo que ele tinha. Eu não era herói. Eu tinha me tornado um canalha sujo e podre como todos eles.”

Trey acabou usando seus conhecimentos e familiaridade com a mansão para roubar o cofre de Murdock enquanto ele estava em sua viagem anual a Israel em 1999. Sabendo a combinação dos alarmes, entrou na sala secreta e fugiu para o México. No relatório para a polícia, Murdock afirmou que no cofre havia 125 mil dólares, nos vídeos disponíveis na internet ele diz que foram milhões. Trey afirma que foi tudo uma armação, o pastor teria colocado pilhas de papel cortadas do tamanhão de notas verdadeiras e escrito um bilhete dizendo que jamais perdia, que sua fortuna estava a salvo no banco e que iria atrás do ladrão. Com medo do que podia acontecer, Trey fugiu para o México sem dinheiro e com mais raiva ainda do pastor.

Depois de extensa investigação nos Estados Unidos, provas contra Trey foram reunidas, mas ele estava fora do alcance da lei americana. Murdock então contratou investigadores particulares que o rastrearam quando ele voltou para os Estados Unidos.

Ele respondeu por esse roubo e outras acusações e cumpriu pena numa penitenciária durante quase uma década. Enquanto estava preso, escreveu boa parte seu livro, onde diz relatar com detalhes muitos outros segredos do ministério de Murdock e também de outros pastores conhecidos.

Trey Smith agora se diz arrependido e livre das drogas, e que deseja mostrar ao mundo que está mudado. Afirma ter se reconciliado com Deus, mas continua disposto a mostrar quem realmente é o pastor Mike Murdock. Além de publicar Thieves de maneira independente em forma impressa e como ebook, Trey mantém o site godinanutshell.com que oferece várias informações sobre seu passado e traz “provas” de seu roubo e de todas as acusações que faz.

A revista texana D Magazine publicou o primeiro capítulo do livro e tentou ouvir o pastor Murdock ou alguém que pudesse falar em nome do Centro de Sabedoria. Não teve resposta.

O Evangelho de hoje: autêntico ou sintético?

O livro Evangelho de hoje: autêntico ou sintético?, de Walter J. Chantry, Ed. Fiel, apenas 74 páginas. Nesse livro, o autor demonstra, com base na passagem de Jesus e o jovem rico, que nossos métodos de evangelização nada têm a ver com os métodos de Jesus.

É um verdadeiro tapa na cara (para acordar!). Recomendo que todos leiam.

Abaixo, só para dar um gostinho, algumas partes do livro.

“Temos herdado um sistema de pregação evangelística que não é bíblico. Esta tradição nem mesmo é antiga. A mensagem e os métodos de pregação evangelística empregados hoje em dia não podem ser traçados de volta aos Reformadores, nem aos credos da igreja da Reforma. [...] Pior ainda, não procedem das Escrituras, e sim de uma exegese superficial e de uma combinação imprudente do raciocínio humano com a revelação de Deus.

O produto resultante é um aglomerado perigoso do mesmo tipo daquele que Satanás utiliza para iludir os pecadores. [...] Vendendo outro evangelho à nossa geração, Satanás tem empregado muitas pessoas sinceras para anunciarem um Cristo destronado. As glórias do Salvador estão sendo ocultadas até mesmo para os seus servos, porque os pregadores não atentam exclusivamente ao evangelho da Palavra de Deus.

Com frequência, este evangelismo resulta em tristes exemplos de vida cristã. São pessoas que fazem uma profissão de fé e continuam a viver como o mundo. [...] Somente uma pequena parcela daqueles que “se decidem” [por Cristo] mostram evidências da graça de Deus, por meio de vidas transformadas. [...]

Tudo isso está relacionado à utilização de uma mensagem evangelística que não é bíblica. A verdade necessária à vida tem sido escondida em um nevoeiro de invenções humanas. Fundamentadas no vazio da lógica humana, milhares de pessoas têm sido levadas a acreditar que possuem direito à vida eterna e têm sido presenteadas com uma segurança que, na verdade, não lhes pertence. Os evangélicos aumentam as fileiras dos desiludidos com um evangelho pervertido. Muitos que “tomaram uma decisão”, em igrejas modernas, e que receberam a proclamação de que seus pecados foram perdoados se surpreenderão, como os clientes de Tetzel, quando ouvirem: ‘Nunca vos conheci. Apartai-vos de mim’ (Mt 7.23). [...]

Notamos uma anemia na maior parte das pregações modernas, pois aquilo que constitui a vida e o sangue da mensagem, ou seja, a natureza e os atributos de Deus, estão ausentes. Os evangelistas centralizam suas mensagens no homem. O homem pecou e perdeu uma grande bênção. Se ele quiser recuperar esta perda imensa, deve agir segundo passos pré-programados. Mas o evangelho de Cristo é bem diferente. Começa com Deus e sua glória. Proclama aos homens que estes ofenderam o Deus santo, que de maneira nenhuma deixará estes pecados passarem em branco. Relembra os pecadores que a única esperança de salvação se encontra na graça e no poder deste mesmo Deus. O evangelho de Cristo leva os homens a clamar por perdão aos pés do Deus santo.

Existe uma grande diferença entre estes dois tipos de mensagens. Uma tenta estabelecer uma trilha aos céus para o homem, ignorando o Senhor da glória. A outra, trabalha para magnificar o Deus da graça plena na salvação de homens. A primeira daria uma resposta técnica para a pergunta: ‘Que farei para herdar a vida eterna?’, sem um fundamento adequado. A outra diz:

Um momento! O Deus com quem temos de lidar é três vezes santo, o Deus único, inatingível em sua gloriosa santidade! Retornaremos à sua pergunta no tempo próprio. Mas, de imediato, tire os olhos de você mesmo e fixe-o no Deus santo, apresentado nas Escrituras. Assim, você se enxergará como realmente é – uma criatura em rebelião contra um Deus infinitamente puro. Você ainda não está preparado para discutir sobre si mesmo e sobre a eternidade.

Isto não quer dizer que pregar a respeito do caráter de Deus é algo diferente de buscar a salvação de um pecador. Pregar sobre os atributos de Deus é essencial à conversão de homens. Sem um conhecimento de Deus, o pecador não sabe a Quem ele ofendeu, Quem o ameaça de condenação ou Quem é capaz de salvá-lo.[...]

Jesus fez com que o olhar egocêntrico do jovem rico [Mc 10.17-18] se voltasse para Aquele cuja santidade levou Isaías a clamar: ‘Ai de mim! Estou perdido!’ (Is 6.5). Esta é uma parte secundária do evangelho? Se pensa assim, você não entende as coisas básicas da fé. O jovem rico veio correndo, por entender que poderia deixar de herdar a vida eterna; mas não compreendia por que isso poderia acontecer. A quem ele havia ofendido? Ele não manifestava qualquer remorso por ter ofendido o Deus santo. Estava preparado para falar de religião, porém ele era ignorante a respeito de Deus. Estava desejoso de falar com Jesus sobre as alegrias da salvação, mas não podia confessar como o salmista Davi: ‘ Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mal perante os teus olhos’ (Sl 51.4). Ele não conhecia bem o Senhor.

[...] Alguém pode argumentar: ‘Minha denominação diz que estas doutrinas não são essenciais, porque causam divisão. Causaria um terrível conflito em minha igreja, sugerir que a nossa preocupação em apresentar apenas o amor de Deus pode iludir os pecadores. Além disso, a pressão constante para se conseguir resultados não permite que tenhamos tempo para esse tipo de pregação’.

[...] Quando Jesus disse: ‘Vende tudo que tens, dá aos pobres’, Ele estava pregando o décimo mandamento de uma maneira prática. Cristo usou a Palavra de Deus – ‘não cobiçarás’ – para expor a ferida da cobiça na alma daquele homem. Este pecado estava invisível aos olhos dos homens; não se mostrava de maneira evidente no comportamento do jovem rico. Mas, com toda a sua corrupção e malignidade, a cobiça governava aquela alma. Como um dardo, a Lei de Deus penetrou a consciência deste jovem pela primeira vez.

Se Jesus tivesse apenas dito: ‘Não cobiçarás’, nosso jovem educado haveria respondido: ‘Não desejo propriedades ou a riqueza de ninguém; estou satisfeito com a minha posição na vida’. Apenas citar Êxodo 20 novamente não funcionaria. Jesus, então, traduziu o décimo mandamento em um teste prático, exigindo que aquele jovem abandonasse suas riquezas. O jovem amava sua riqueza mais do que a Deus e ao seu Filho; assim, ele se retirou. Mas quando se retirou, ele o fez completamente consciente de que era um pecador cobiçoso. [...]

Em vez de , em nome do amor, comprometer a verdade da santa Lei de Deus, nosso Senhor permitiu que o jovem rico se retirasse. Se Cristo tivesse ignorado o caráter inviolável da Lei perfeita, a fim de ganhar este pecador para Si, Ele teria destruído o verdadeiro amor, pois o verdadeiro amor está vinculado ao cumprimento dos mandamentos. O verdadeiro amor nunca negociará a verdade sobre a qual ele está estabelecido.

É necessário que os pregadores de hoje saibam como proclamar a Lei de Deus; porque, até que saibamos como ferir as consciências, não teremos o que curar com o bálsamo do evangelho. [...]

[nota Estrangeira: infelizmente, em nome de se alcançar as 'metas' de evangelização da igreja, nós passamos por cima da pregação sobre o pecado e a obediência a Deus, pois são assuntos que não costumam agradar à platéia. Em seu lugar, pregamos o quanto Deus é bom, maravilhoso, mordomo e disposto a nos fazer e dar tudo o que queremos. Isso não é e nunca foi pregar o Evangelho de Jesus. É, sim, o evangelho de satanás.]

As igrejas estão cheias de pessoas que professam ser crentes, mas que nunca ouviram que Jesus exige o arrependimento de todo aquele que anseia pela vida eterna. As pessoas se apressam a ‘aceitar Jesus como seu Salvador pessoal’, sem ‘vender tudo’. Nunca foram avisadas pelo pregador de que existe uma condição àqueles que desejam possuir tesouros nos céus, isto é, o arrependimento. Deste modo, os convertidos do evangelismo moderno são, frequentemente, tão mundanos após suas decisões como antes delas, porque fizeram a decisão errada. [...]

Nosso Senhor foi plenamente honesto com o jovem rico. Com toda a clareza, Jesus declarou que segui-Lo envolveria o tomar uma cruz. ‘Tome a sua cruz’, um instrumento de aflição. ‘No mundo, passais por aflições’ (Jo 16.33), o Senhor assegurou aos seus discípulos. Logo no início, o jovem rico foi informado que a obediência a Jesus traria desconforto e sacrifício. Ao abandonar os grandes deleites de suas paixões carnais, aquele jovem rico precisaria desistir daquilo que era legítimo no que se refere aos preceitos da Lei de Deus. Ele perderia muitos amigos. Precisaria gastar muitas horas num auto-exame e oração. O discipulado é algo que demanda muito de nossa parte.

Apesar de não ser intencional, o engano é uma característica dos apelos modernos, para que as pessoas venham a Cristo. Aqueles que ouvem as pregações são lembrados de que estão tristes, desanimados e mal-sucedidos. A vida é um grande peso para eles. Os problemas os rodeiam, e o futuro traz em si sérias ameaças. Então, os pecadores são convidados a vir a Cristo, que mudará tudo isto e colocará um sorriso em seus lábios. Ele é apresentado como um psicólogo cósmico que solucionará todos os problemas em apenas uma sessão. A disciplina exigida por Cristo nem sequer é lembrada. Ninguém levanta a voz para dizer que seguir a Cristo é sacrificial e árduo.

Não é surpreendente que muitos dos que ‘vão à frente’, para receber a pílula do evangelho moderno, nunca são vistos de novo. Eles reagem como um recruta para a marinha. O sargento que o recrutou disse tudo sobre ver o mundo, sobre a honra e a glória existentes no treinamento. Nada foi dito sobre o acordar de madrugada, sobre as marchas forçadas, sobre os plantões como sentinela. Ninguém mencionou o sangue, o fogo e o terror existentes no campo de batalha. Muitas vezes, o jovem ‘convertido’, após alguns dias de sua ‘profissão’ de fé, acorda e descobre que os problemas permanecem, e a lua-de-mel psicológica é encerrada tão rapidamente.[...]

A integridade exige uma maneira mais honesta de apresentarmos o evangelho. O inquiridor moderno merece ser tratado como o foi o jovem rico. Ele deve ouvir que o Senhor, para Quem estamos chamando-o, espere que ele também leve a sua cruz. Para marcar os corações com a seriedade da decisão, em vez de dizermos: ‘Levante-se e venha à frente’, seria melhor dizermos: ‘Sente-se e pense seriamente. Não tome esta decisão irrefletidamente; quando você decidir por este caminho, não poderá voltar atrás. Há um tesouro no céu, mas ele pertence àquele que toma a sua cruz, na terra’.

Somos chamados a pregar para ‘ossos secos’ (Ex 37). Como Ezequiel, no Antigo Testamento, somos colocados no vale deste mundo, que está cheio de ossos secos, que são os pecadores mortos. Deus nos ordena a profetizar para esses ‘ossos’ (v.4). O propósito de Deus é trazer à vida os que estão espiritualmente mortos, através da pregação. Estes ossos estão ‘sequíssimos’ (v. 2). Não existe neles o menor vestígio de livre-arbítrio. Mas, quando Deus soprar sobre eles, receberão vida e se tornarão em ‘um exército sobremodo numeroso’ que seguirá o Cordeiro – para o louvor da glória de sua graça poderosa.

Perceber isso fará com que focalizemos nossa atenção na oração humilde, para que o poder salvador de Deus nos venha assistir. Nossa confiança, então, descançará não na união organizacional ou nas técnicas psicológicas. [...] Não existe campanha que possa trazer a carne de volta a estes ossos. Nenhuma cooperação entre denominações conseguirá levantar este exército. Quatro passos fáceis nas mãos de evangelistas bem treinados não conseguirão dar vida nova aos pecadores. Somente Deus, trabalhando soberanamente através de um mensageiro fiel, pode ressuscitar os que estão espiritualmente mortos.”

VOLTEMOS AO EVANGELHO PURO E SIMPLES,  O $HOW TEM QUE PARAR!

A Lâmpada Consagrada

E quando você pensa: "Bom, chega! Já vi de tudo no meio gospel". Eis que você se engana e encontra isso: A Unção da Lâmpada Consagrada. Isso mesmo que você leu. Se você está com problemas de vícios, violência, dívidas na sua vida ou casa, simples. O problema pode ser na lâmpada.

Veja o Vídeo:

Estou farto. Basta. ( 5 )

Estou farto. Basta.


Basta de igrejas que se maqueiam de muderninhas pra atrair jovens.

Basta de raves gospel.

Basta de tratar o Evangelho Sagrado como se fosse “uma coisa maneira”.
Basta de pregações fora do contexto.

Basta de pastores arrogantes.
Basta de achar que Cristo gosta que pastores berrem e esbravejem na TV.

Basta de marchas inócuas para Jesus.

Basta de louvor no volume máximo à noite incomodando toda a vizinhança.

Basta de crentes que ofendem o não cristão em nome de evangelismo.

Basta de adesivos com versículos bíblicos em carros que ultrapassam o sinal vermelho e fazem bandalhas.

Basta de achar que ser cristão é só ir ao culto.

Igreja coloca jovens de cueca para dançar em evento gospel

Quem acha que isso é evangelismo, rasgou a bíblia! Já vi muitas coisas nessa curta vida, e todos os dias denunciamos a apostasia da igreja pseudo-evangélica e conclamamos os leitores a voltar aos pilares da reforma e ao verdadeiro evangelho. No entanto, há tempo que não via uma coisa tão baixa como essa. Jovens de uma igreja evangélica fazem evento evangelístico com direito a dancinha de cueca!

Veja o vídeo:




Uma pessoa que usa tais artifícios para atrair as pessoas à sua igreja, certamente está mais interessado no número de pessoas e na quantidade de dinheiro depositado no gazofilácio, do que com o Reino de Deus. Aliás, a única preocupação desses caras é mesmo ter gente e dinheiro (por que gente traz dinheiro, e quanto mais número, mais grana!). O Reino? Faz tempo que eles erraram o caminho. Certamente, não se dirigem para lá!

Que Jesus nos conduza ao verdadeiro evangelho.

Evangélicos transformam hits da música secular em canções evangélicas



Esta é a igreja evangélica brasileira. É só botar a lona que já virou CIRCO!


Veja mais:



Caio Fábio fala sobre sua sentença de prisão por causa do Dossiê Cayman

Não estamos aqui emitindo juízos condenatórios sobre o Caio. A postagem deste vídeo, tem como objetivo noticiar, e não atestar a autenticidade da acusação, o cabe somente à justiça. No entanto, a história do Dossiê Cayman é antiga, recorrente, e o próprio Caio já havia se referido a ela. Trata-se de um dossiê com supostas provas contra o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, no qual ele era acusado de evasão de divisas. Para quem não sabe, “Evasão de Divisas” é, grosso modo, mandar grana para o exterior sem declarar, sonegando assim os impostos sobre renda. Esse documento, se verdadeiro, seria uma arma eleitoral nas mãos dos adversários políticos de FHC.

Naquele tempo Caio Fábio estava no ápice da sua popularidade, e apesar de não ter sido jamais político, estava muito envolvido com políticos da oposição, como a Benedita da Silva e parecia simpatizar com ideais partidários do PT (algo do que ele anos depois disse ter se arrependido). Pois foi nessa época que, segundo Caio, os documentos haviam chegado às suas mãos. Segundo o então pastor presbiteriano e hoje líder do “Caminho da Graça”, líderes influentes do PT começaram a pressioná-lo, ligar pra casa dele, pedindo que ele levasse esses documentos a publico. Pese que, naquele tempo, Caio era uma das figuras mais respeitadas do meio evangélico, a despeito dos pecados cometidos e confessados por ele neste mesmo período, no livro das suas “Confissões”. Desse modo, uma acusação desse teor, levada a tona pelo pastor que “fabricava esperança” e tinha espaço na Rede Globo, admirado por crentes e por aqueles que não eram evangélicos poderia ser um trunfo eleitoral.

Caio diz ter cedido à pressão e levado os documentos a publico. Se rolou dinheiro na jogada, coisa típica das mamatas e negociatas políticas, ninguém sabe ou pode provar. Ao que ele diz, a exposição dos documentos se deu por convicção ideológica (acreditar ou não, depende do critério de cada um).

Agora, o que consta neste processo, ou melhor, o que não consta e nunca constou, é “quem foi o autor do dossiê e como ele foi parar nas mãos do reverendo Caio”. E por causa disso, ele agora está sendo acusado (e agora condenado) por ter forjado, ele mesmo, as falsas provas do referido dossiê.

Embriagados da fé: chapados para a glória de Gizuz!

Século XXI. Teleguiados de unções no ciberespaço. Profecias bombásticas em canais de televisão. Jesus está voltando! “Ops! Tenha Calma. Estou comprando um Apartamento na zona da benção, estou financiando meu Kia Cerato, além disso, meu investimento no ministério do Pastor Moris Cerullo ainda deve gerar um lucro de 500% – acha que Cristo virá antes de cumprir seu propó$ito em minha vida?”

De uns tempos pra cá uma chuva de “álcool herético” tem embriagado muita gente. Pessoas tem bebido de um tipo de absinto composto de uma mistifório de teologia da prosperidade, “pietismo moderno”, neopentecostalismo e extravagância anti-lucidez. A bebida é forte! Embriaga, derruba, leva a lama! Faz com que o cara perca as estribeiras.

Não há mais centralidade, direção, certezas, conceitos, doutrina. Mas há um estado de busca incessante por um reino construído por tijolos farisaicos. Um reino onde se busca “o aqui e o agora”, onde os milagres devem acontecer segundo a intensidade de adoração, onde as riquezas valem mais do que o livrança do inferno, onde o conceito de graça tem sido adulterado por uma tal de “confissão positiva”, onde a adoração retrocedeu ao lugar geográfico, onde a centralidade de Cristo anda dividida entre os supostos “Homens de Deus” (redutos de poder), onde os templos gigantes, recalcados por luxo significam a aprovação divina por tal ministério, onde a Verdade tem se diluído em numa bebida contaminada por mentiras de promessas e milagres.

Os embriagados odeiam a leitura bíblica. Preferem pular e cantar, decretar vitórias; ouvir testemunhos e contar as experiências pessoais que tiveram (com Deus??). Os de sintomas mais agudos ainda insistem em proclamar que “o Brasil será (é) do Senhor Jesus” e vivem num êxtase gospel causado pela felicidade de seus ídolos estarem diariamente na Globo cantando louvores ao a Jesus: – “Estamos crescendo numericamente! Estamos ganhando os meios de comunicação para o Senhor Jesus! Aleluia, Deus é Fiel!”

Seus repertórios estão sempre atualizados, de “Restitui a Ressucita-me”, cantam sem saber o que estão dizendo, relativizam a verdade, além de terem um ecletismo assombroso quando conseguem ouvir os Sermões divergentes (Hernandes Dias Lopez versus Valdemiro, por exemplo) e ver naturalidade em seus pensamentos na desculpa de que ambos falam de Deus. A bebida fecha as pálpebras para a Verdade. Isso é grave!

Os embriagados querem mais absinto. Querem materializar o próprio Deus. Eles querem ter experiências profundas, mas esquecem da simplicidade devocional, super-enfatizam os dons, as curas, mas titubeiam na compaixão, piedade, e amor ao próximo. Querem ver a Deus e esquecem de ser imagem Dele; querem abraçá-Lo, beijá-Lo…Querem ser carregados no colo, querem sentir as mãos de Deus, querem chamá-lo de paizinho e acaricia-Lhe o rosto dizendo: Jesus como tu és lindo! Querem extravasar em suas adorações! Querem se desesperar por Ele, querem perder o sono por Ele! (Obs: tais expressões de anseio foram retiradas de várias canções atuais)

Os embriagados detestam a defesa da fé. Acham uma perca de tempo conhecer os atributos e Deus e seus desígnios. Atropelam as recomendações no uso de dons (profecias e línguas), ignoram a reprovação do amor as riquezas, da idolatria, a admoestação da ordem no culto, da adoração como estilo de vida e insistem em continuar bebendo, bebendo…

Se você anda ingerindo tal absinto, ou algum dia o fez, tem a orpotunidade de sair desse estado de dependência. Conheça a Graça de Deus! Liberte-se de julgo da mentira! Liberte-se dos falsos pastores, da falsa doutrina. Seja um sóbrio na fé e na adoração!

Beba da Água da Vida! Jesus!

Pastor assina termo de garantia e promete devolver o dízimo se Deus não honrar a pessoa

“Satisfação garantida ou seu dinheiro de volta”, promete o pastor Ed Young Jr.

Embora sua igreja esteja ligada à tradicional Convenção Batista do Sul, o pastor Ed Young Jr, da Igreja Fellowship, do Texas, está sempre “inovando”. Ano passado, Ed Young disse que iria ajudar as pessoas a não se esquecerem de dar o dízimo e pediu o número da conta corrente para fazer uma espécie de “débito automático” dos dízimos.

Ele também falou para uma rede nacional de TV que Deus deseja que as pessoas tenham relação sexual e lançou uma campanha para que os membros da igreja fizessem mais sexo.

Este ano, ele lançou uma nova campanha controversa. A pessoa dá o dízimo e recebe uma garantia com a promessa de devolução do dinheiro caso Deus não honre sua fé.

Cartões de compromisso foram distribuídos para todos os membros da Fellowship no domingo passado. Eles se comprometem a dar 10% da totalidade dos seus rendimentos durante sete semanas. Se eles não estiverem satisfeitos com as bênçãos, o pastor prometeu que devolverá o valor.

No vídeo da pregação é possível ouvi-lo dizer: “A única vez que Deus disse “Faça prova” foi em relação ao dinheiro do dízimo… Será assim o propósito… Este é o “desafio de Deus”. Esta é uma garantia da devolução do dinheiro.

Em outras palavras, temos 7 finais de semana a partir de hoje até o final do ano. Estou pedindo que você preencha a ficha. Se Deus não abençoar a sua vida e mostrar seu poder de uma forma clara, nós vamos devolver o dinheiro de Deus para você. Vou repetir. Eu sei que é difícil de acreditar que uma igreja poderia fazer isso. Você vai fazer um teste por sete semanas, certifique-se que preencheu tudo de maneira que podemos identificar você em nosso escritório financeiro. Nós vamos devolver-lhe o dinheiro de Deus [risos] Você ouviu bem, de-vol-ver o dinheiro de Deus! Tenho certeza do que estou falando. Muitas vezes não sentimos vontade de trazer o dízimo. Sou pastor há 30 anos. Muitas vezes não tive vontade, não fazia sentido… Aqui você pode lembrar da promessa de Deus, Malaquias 3:10… Você não tem nada a perder. Aceite esse desafio. Deus quer abençoar seus filhos ricamente quando eles obedecem…”

A premissa de seu sermão é que os primeiros 10% de renda não são seus, é a “parte de Deus”, logo você não pode “dar”, você só pode “entregar” o que não é seu.

Ele só não explica em qual passagem da Bíblia ele encontra base para devolver o dízimo ou prometer, exemplo de muitos produtos “satisfação garantida ou seu dinheiro de volta”.

Traduzido e adaptado de FBC Watch

Segura essa Valdemiro! Chupa essa manga, Malafaia! Toma Edir Macedo!



Uma mangueira inteira pra eles chuparem!

Grande verdade na palavras do missionário. Será que os caras vão para lá? O povo mal tem o que comer, quando tem. Tirar dinheiro de onde não existe com campanhas de dízimos e ofertas com o povo passando fome é ruim!!!

Certamente os cafetões da prosperidade têm uma solução pra isso, é só sacrificar o “Bolsa Família” nas fogueiras de milagres!

Eu conheço várias outras implicações lógicas como estas que deixariam os pastores em situação dificílima ao ter que confrontá-las.

Marcelinho carioca: Não basta ser corintiano, tem que ser apóstata também!

Depois de ter gravado disco de pagode gospel, amontoar brigas dentro e fora dos gramados, o pé de anjo agora ataca de defensor de falsos profetas e da teologia das sementes e da prosperidade!

Não, não basta ser corinthiano tem que ser apostata também! Neste vídeo o ex-meia corinthiano conta seu ‘tristimunho’ com o milagro que aconteceu na fogueira santa, é aquela mesma que segundo o Malafaia, teria queimado os neurônios do Bispú. Maiscedo não deixou por menos, e twittou o estelionato, digo, campanha feita pelo jogador no seu microblog:

Antes de assistir o vídeo prepare um sal de frutas! (não diga que não avisei):


Vomiteii! Agora nos resta saber se ele vai doar esse dinheiro pro Curintian fazer um bom time pra ganhar a libertadores do ano que vem! (risos) Corinthians ganhar libertadores, isso sim seria um milagre, e do bons, rs

A unção do Cachorro!



Já cantava Waldick Soriano, “eu não sou cachorro não”, no entanto, não é isso que os adeptos da zooteologia acreditam, até porque, depois da unção da galinha, do galo e do leão, eis que surge retumbante em nossas igrejas a unção do cachorro.

Sou obrigado a confessar que a unção da bicharada é algo que me deixa extremamente intrigado, até porque, não vejo em nenhum momento da Bíblia os apóstolos usufruindo de tais manifestações espirituais. Por acaso existem relatos nas Escrituras de Paulo latindo? Ou de Pedro uivando? Ou Timóteo rugindo? Claro que não. Entretanto, os adeptos da "zooteologia" acreditam que pessoas em estados alterados de consciência recebem da parte de Deus a unção de animais, o que as faz latir como cães, pular como macacos, rastejar como cobras. Confesso que não sei aonde vamos parar. O que fizeram com o evangelho de Cristo? O que fizeram com a sã doutrina? Diante disto tudo lhe pergunto: Que Cristianismo é esse? Que evangelho é esse? Que doutrinas são estas? Ora, esse não é e nunca foi o evangelho anunciado pelos apóstolos. Antes pelo contrário, este é o evangelho que alguns dos evangélicos fabricaram! Infelizmente, a Igreja deixou de ser a comunidade da palavra de Deus cuja fé se fundamenta nas Escrituras Sagradas, para ser a comunidade da pseudo-experiência, do dualismo, do misticismo e do neomaniqueismo!

Ah, meu amigo, confesso que não agüento mais a efervescência da graça barata, o mercantilismo gospel, a banalização da fé, a manifestação de apóstolos da mentira. Não suporto mais, as loucuras e os atos proféticos feitos em nome de Deus, não agüento mais o aparecimento das mais diversas unções em nossos arraiais; isso sem falar da hierarquização do reino, onde apóstolos, paipóstolos, príncipes e reis, têm oprimido substancialmente o povo do Senhor.

Chega! Basta! Quero viver e pregar o evangelho integral, quero ver uma igreja, santa, ética, justa e profética, quero ver uma igreja, que não se corrompe diante loucuras dessa era, quero ver uma igreja reformada e reformando, quero ver uma igreja verdadeiramente PROTESTANTE!

Pastor vende “purificação da alma” e é preso por estelionato

O programa Cidinha Livre da Band mostrou a reportagem de um pastor de Niterói, Rio de Janeiro, que foi preso por aplicar golpes nos fiéis. Em um desses golpes ele recebeu um apartamento para purificar a alma de uma mulher.

O pastor Marcelo Henrique da Silva Freitas, 43 anos, estava há três anos à frente da Igreja Evangélica Manancial quando um fiel foi fazer uma denúncia contra ele os policias perceberam que já haviam outros dois mandados de prisão contra ele por crimes de estelionato.

O delegado que investigou o caso sugere que as igrejas deveriam ter um órgão para provar que os pastores realmente são pastores e não impostores que tentam extorquir as pessoas. A apresentadora também concorda e ainda expressa sua opinião a respeito das igrejas que tentam vender promessas para os fiéis.

O programa é transmitido apenas para as emissoras do Rio, mas pode ser visto no blog do site oficial da emissora.




Que piada!

É revoltante, que nesse país só se prende negro ou pobre. Quero ver eles prenderem um pastor da igreja Universal do Reino de Deus! O delegado e a apresentadora do programa, sabem muito bem que este pastor está sendo o bode expiatório. Por que que o Edir Macedo está solto com mais de 200 processos na justiça? Alguém pode responder? Este pastor está errado tanto quanto o Edir, Silas Malafaia, Marcos Feliciano e o Waldomiro Santiago, que são estelionatários e vendem as bênçãos de "deus" do mesmo modo.

Deus tenha misericórdia de nós.